Akai Ito 

A Coleção Akai Ito de Kika Simonsen re-interpreta códigos japoneses com olhar contemporâneo e toque ocidental.

Para a coleção, a designer Kika Simonsen teve o Japão como ponto de partida. Conhecida pelas cores intensas, por criar estampas autorais pintadas em grandes telas e por mixar elementos de diferentes culturas de forma autoral e contemporânea, a estilista segue em seu exercício para a coleção Akai Ito.

Esse perfume asiático é sentido principalmente nas modelagens que remetem aos shapes tradicionais japoneses. Na prática, camisas com mangas quadradas e peças com construções que remetem aos kimonos usados pelas gueixas, mas que aqui surgem com um toque urbano, contemporâneo e único. O kimono ganha um toque autoral em sua modelagem: asas de borboletas como mangas. É repaginado e feito em linho com viscose e seda, como elemento de Brasilidade. Além disso, laços bold reforçam essa inspiração de forma romântica e moderna, ao mesmo tempo. Em comum entre elas: a amplitude das peças, que abraçam o corpo, proporcionando conforto de uma forma ultrassofisticada.

Isso é sentido também no toque, os tecidos proporcionam essa sensação de comodidade - e, claro, caimento. Sedas em diferentes versões, ora puras, ora com fios metalizados são destaques. Mas há ainda linhos mistos, algodão reciclado, malha, tweed e veludo canelado, mostrando como as texturas também foram levadas em consideração na hora da criação.

As estampas foram pintadas em grandes telas. Dois trabalhos dípticos (ou seja, uma obra que é dividida em duas partes), fazem a estampa Kyoto que representa turistas vestidas em quimonos; circulando nos templos com as suas árvores repletas de flores de cerejeira. Outras 3 telas completam as estampas borboletas, tsurus, (ambas com representações de suas formas orgânicas e em origamis) e a tela peônias.

Sempre sintonizada as ondas mundiais e adepta de novas políticas para sua etiqueta, Kika investiu em tecidos sustentáveis produzidos a partir de retalhos e reciclagem de garrafas pets, além de outros resíduos que iriam gerar poluição ambiental. Por isso todo o processo de tecelagem e tingimento foram idealizados para diminuir o uso de água e deixar etapas convencionais mais eco. E, claro, mantendo sempre a preocupação de ter um produto final com um padrão de alta qualidade.

Tudo isso tingido por uma cartela de cores vibrante, marcada por intensos tons de rosa, como fúcsia e o pink. E ainda, azul claro, amarelo mostarda, cereja e verde floresta, marcam presença. Uma marca idealizada por uma mulher e voltada para mulheres independentes que fogem do óbvio e não se apegam a tendências, pois sabem que roupas são mais que adornos, são na verdade extensões de suas personalidades artísticas e sensíveis.

Caraíva

As cores, texturas e sabores de Caraíva inspiraram a estilista Kika Simonsen na criação de sua coleção de alto-verão 2020.

O ponto de partida foram as impressões da estilista e seu imaginário sobre a cidade do litoral baiano, que resultaram em uma coleção de cores vivas, estampas exclusivas e peças fluidas.

Em seu processo criativo, o primeiro passo de Kika é desenhar as pinturas, desenvolvidas em camadas com pigmentos puros. À partira dai, o desenho das telas é passado para o tecidos e a coleção começa a tomar forma.

Entre as estampas dessa coleção, o vestido Caraíva é um dos carros-chefe da temporada. Desenvolvido de forma minuciosa, com poucos recortes para preservar a estampa, a peça tem efeito assimétrico que garante sua fluidez.

Os paneaux, marca registrada da estilista, aparecem em duas versões de estampas que compilam as pinturas inteiras dos quadros originais e podem ser usados de várias formas.

Entre os tecidos, seda e linho, como o verão tem que ser, e a modelagem impecável que traduz a forte imagem estética proposta pela estilista.